24-06-2016 Editorial: Cheiro de poesia no ar

Que Dois Córregos respira cultura, isso ninguém pode duvidar. A cidade é conhecida pelo seu amor à poesia e recebe, inclusive, o título carinhoso de “Capital da Poesia”. O que não é nenhuma injustiça. E, quem acompanha o trabalho cultural no município, sabe muito bem dos desafios e do crescimento alcançado ao logo dos últimos anos.
A cidade já desponta no cenário regional como referência no turismo cultural. Durante muitos anos o Instituto Usina de Sonhos e a Prefeitura Municipal realizaram o tradicional “Festival de Poesias”. Algumas edições chegaram a receber o título de “Internacional” e trouxeram poetas renomados de outros países para compartilharem suas experiências e conhecimentos com os moradores de Dois Córregos e de toda região.
Outras iniciativas culturais têm evidenciado o nome do município, como o também já tradicional Festival de Macadâmia, que além de ajudar as entidades da cidade, traz a conhecimento de público essa noz que é um produto nobre, de enorme qualidade nutricional, e que muitas pessoas não conhecem ou tiveram poucas oportunidades de experimentar. Além, é claro, de destacar a importância que a produção e o processamento da macadâmia têm no cenário econômico da cidade. A última edição do evento foi um enorme sucesso e superou todas as expectativas.
E agora, mais uma novidade. Até porque, cultura não tem limite de criatividade. Neste mês de junho, o Instituto Usina de Sonhos e a Prefeitura da cidade realizam o primeiro Festival de Literatura e Poesia de Dois Córregos. Serão dois dias repletos de atividades culturais voltados à toda população. O “Litesia” é mais um investimento cultural, que evidencia a importância desse setor e destaca, ainda mais, a promessa de um município focado no turismo cultural.
O evento deve atrair muitos visitantes e isso é um ponto positivo, que descarta qualquer questionamento. Afinal, em um período de crise econômica, proporcionar essa movimentação no município é sem dúvida uma estratégia certeira. Sem contar que, além da economia, traz benefícios também intelectuais.
O que se espera é que a população tenha o mesmo pensamento e saiba valorizar cada suor derramado para conseguir colocar em prática esses projetos e, é claro, que aproveitem cada momento como se fossem únicos.



Esta matéria teve 291 visitas até agora. Data da publicação: 28/06/2016

Publicidade