08-07-2016 Editorial:Cuidado, período eleitoral!

Muitas pessoas não gostam nem de pensar que o temido período de campanha eleitoral está se aproximando. Há quem não suporte esse momento, mas vale ressaltar que, gostando ou não, é a política que dita as regras e influencia em todos os setores da sociedade, logo, influencia em toda nossa vida. Portanto, a participação, sem necessariamente ser assídua, mas ao menos consciente, na política é necessária. Essa é só uma reflexão para lembrarmos de tudo o que estamos passando devido à nossa situação política e, lembrarmos também, que as escolhas das pessoas que ocupam tais cargos, são feitas por nós. Então, cuidado, você tem um poder muito grande em suas mãos, não o desperdice na hora do voto.
Pois bem, voltando ao período eleitoral, já começamos a pensar: lá vem aquela poluição visual, não é mesmo? Em cada esquina, em cada poste, em cada muro que se olha, tem um candidato estampado. São outdoors espalhados por todos os cantos da cidade. Uma canseira visual que desgasta antes mesmo do fim da campanha.
Mas, para 2016, as novidades são boas. Tudo bem que a poluição visual vai continuar, mas talvez nem possamos mais considerá-la como poluição e sim como informação, que afinal, desde de sempre seria a sua finalidade. Isso porque, além do tempo de campanha ser menor, a participação ativa dos cidadãos nas campanhas também está bem mais restrita. Ótima notícia, assim a compra de voto (e o gasto inconsequente de dinheiro) vai reduzir (porque acabar já é pedir demais, ainda mais no Brasil).
Enfim, foram tantas as alterações para a campanha eleitoral deste ano, que é preciso muita atenção. O comportamento inadequado dos eleitores, pode prejudicar os candidatos, e ninguém entra numa disputa para perder, concordam? Então, se você quer ajudar seu candidato a ser eleito, fique inteirada de todas as regras que envolvem o papel do cidadão durante o período eleitoral.
E não é só isso, pois partidos e candidatos também precisam estar muito atentos nesse período. A  busca por um cargo pode acabar tanto antes, quanto depois das eleições. Por isso, seguir à risca as normas estipuladas, é no mínimo uma obrigação. Qualquer deslize ou derrapagem, por mais simples que seja, pode comprometer o candidato se tal ato for considerado ilícito. Se não for descoberto durante a campanha, mas for comprovado após as eleições, se o candidato havia sido escolhido, cuidado, pode ter que dar adeus antes do previsto.
Seguir normas e regras é algo fundamental para se viver em uma sociedade. Elas não existem só na política, elas fazem parte da nossa vida. Ninguém é melhor que ninguém para não ter que cumprir determinações. A educação e o comprometimento são características primordiais em uma pessoa, e é a partir da obediência em relação tais regras, que pode se observar o caráter. Portanto, avalie seu candidato, veja o comportamento que ele tem, conheça as regras para a campanha eleitoral e conclua: se ele não é capaz de seguir uma norma a qual todos os concorrentes estão submetidos, porque ele merece representar você perante toda sociedade?
Informe-se. Observe. Acompanhe. Você pode não acreditar, mas você pode sim fazer toda diferença.



Esta matéria teve 299 visitas até agora. Data da publicação: 22/08/2016

Publicidade