22-07-2016 Editorial: Como anda a economia?

Você ainda está com o orçamento apertado? Ou já se adaptou à atual inflação e tem controlado os gastos para conseguir pagar as contas do mês? Pois bem, muitos brasileiros estão mais conscientes e têm deixado de gastar com supérfluos ou de forma irregular o dinheiro. O poder de compra ainda é um obstáculo na economia atual, mas a confiança dos brasileiros tem sido um aspecto positivo para a melhora na economia.
Mas podemos falar em melhora? Ainda é muito precoce usar esse advérbio. O que os especialistas apontam é que o Brasil parou de piorar, o que diante da situação, já é algo a ser levado em conta.
Uma pesquisa recente apontou que caiu, pela primeira vez desde 2014, o número de brasileiros que não conseguem pagar suas contas. Isso porque 2016 iniciou com recorde de endividados. E o que isso significa? Pode parecer contraditório, já que com o orçamento reduzido, alguns até mesmo sem orçamento devido ao desemprego, e com a inflação nas alturas, a ideia que se tem é do inverso, mas não, o brasileiro tem se esforçado para limpar o nome.
Somente de abril para maio foram mais de 1,3 milhão de pessoas que saíram da lista de inadimplentes. E por que isso tem acontecido? Porque com o nome sujo, a pessoa não pode comprar, fazer financiamentos e nem adquirir créditos, e com o dinheiro curto e as coisas caras, fica difícil lidar com a situação se não tiver acesso às linhas de crédito.
Então podemos prever uma breve recuperação da economia ainda neste ano? Vamos com calma. Alguns passos importantes já foram dados, por exemplo, os Estados têm renegociado suas dívidas com a União; o governo tem incentivado o setor privado e reduzido os gastos com cargos públicos; a confiança do brasileiro apresenta leve ascensão, mas tem algo que interfere diretamente nesta recuperação econômica, que está vinculada à pacificação política no país. E quando isso vai acontecer? Se será pacífica não podemos afirmar ainda, mas em agosto, a política deve tomar novos rumos com ou sem a presidente Dilma Rousseff.
O brasileiro tem sido desafiado dia após dia a lidar com essa situação tão complicada, mas, mais uma vez, tem sido um herói em meio a tanta confusão. O que nos resta é aguardar, e sempre conscientes e preocupados com a nossa saúde financeira.
Que venham dias melhores.



Esta matéria teve 303 visitas até agora. Data da publicação: 22/08/2016

Publicidade