23-12-2016 Torrinha: Administração pagou mais de R$2 milhões em dívidas de governos anteriores

Ao término de 2016, a atual administração municipal terá pagado mais de R$2 milhões em dívidas deixadas por administrações anteriores. São precatórios, dívidas trabalhistas, ações judiciais e condenações pelo mau uso do dinheiro público que dariam para realizar diversas benfeitorias para a população caso estes valores permanecessem no caixa da prefeitura.
O total exato é de R$2.317.910,56, valor que daria para asfaltar mais de uma vez o bairro Estância Della Coletta, ou construir cinco Casas da Cultura, mas, através de sentenças judiciais com origem em outras administrações tiveram de serem pagas por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal.
Desse total, R$1.175,052,68 referem-se a precatórios; RPV e RP (Requisição de Pequeno Valor e Restos a Pagar) representam R$137.756,36; Parcelamento de INSS e FGTS somam R$608,275,65; RP de exercícios anteriores (1997 a 2000) representam R$128.772,31 e o parcelamento do Barracão Industrial no bairro Santa Elisa custou até o momento R$268.053,56 aos cofres municipais.
A dívida deixada pelo Barracão Industrial da gestão de Irineu Fernando de Castro (1997 a 2000)  é uma das mais simbólicas no quesito ‘desperdício de dinheiro público’. Pela destinação incorreta dos valores da construção do Barracão, cedido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Ciência e Tecnologia do Governo do Estado, julgado irregular pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo por superfaturamento da obra, Torrinha foi obrigada a devolver o valor total do convênio (R$196.958,00) com juros e correções monetárias, bem mais que o dobro do valor original (R$332.812,56).
Caso um dia queira por em funcionamento o local ainda desembolsará uma enorme quantia na recuperação da estrutura e para finalizar o prédio. Enquanto a Prefeitura não quitar parte da dívida a administração fica proibida de mexer na área.
Tais pagamentos representam um enorme desfalque no orçamento do município considerado pequeno (em média de cerca de R$20 milhões por ano). O ex-prefeito Gil Botteon (2008 a 2010) iniciou o pagamento de parte das dívidas que ainda deverão continuar a sendo pagos na próxima gestão à partir de janeiro de 2017.
 

 

 



Esta matéria teve 65 visitas até agora. Data da publicação: 24/01/2017

Publicidade