27-01-2017 Arevu enfrenta crise

 A situação econômica do país tem interferido em diversos setores da sociedade. Em Dois Córregos, o Arevu, entidade que assiste cerca de 130 crianças, corre o risco de fechar as portas. Segundo representantes da unidade, funcionários estão com salários atrasados e não há previsão de melhora financeira.

Rose Delgado, que atua na entidade há 14 anos, explica que a situação do Arevu é muito crítica. “Estamos passando por um momento muito difícil financeiramente. O pagamento dos funcionários no mês de dezembro foi feito pela metade e o do mês de janeiro não há previsão de ser pago. Mas além disso, temos outras despesas a serem pagas como manutenção da entidade, custo de alimentação, entre outros. Não temos condições financeiras para custear todas as despesas mensais”, esclarece.
Segundo Rose, nesta semana o prefeito Ruy Fávaro se reuniu com representantes da entidade e se mostrou disposto a encontrar uma solução para o problema. “Ele foi gentil e disse que vai nos ajudar no que for possível. Ele se comprometeu a estudar o caso e buscar uma solução”.
A entidade tem um gasto mensal que gira em torno de R$18 mil a R$20 mil. “Recebemos R$8 mil de subvenção da prefeitura, mas isso não cobre nem metade dos nossos gastos. Todo mês temos que levantar recursos próprios para custear o restante das despesas. São recursos oriundos de festas, eventos, pagamento de carnês e doações. É assim que a entidade tem sobrevivido até hoje. Temos uma cidade acolhedora, generosa, que sempre nos ajudou, mas com a crise financeira, hoje já não é tão rentável como era um tempo atrás. Por mais que arrecadamos uma certa quantia, de as pessoas ajudarem na medida que podem, ainda está muito difícil para nós e todos os meses estamos no vermelho”, conta.
Para Rose, a permanência da entidade é fundamental para o município. “Atendemos crianças que precisam de um lugar para ficar enquanto as mães trabalham. É uma entidade que funciona há muitos anos e tem muito valor para nós. É preciso encontrarmos uma solução para esse problema, porque entendemos a necessidade dessas crianças de continuarem sendo atendidas pela nossa entidade”. 
 


Esta matéria teve 61 visitas até agora. Data da publicação: 07/02/2017

Publicidade