03-02-2017 Dois Córregos completa 161 anos

O Surgimento:

Dois Córregos surgiu com uma parada de tropeiros que vinham de Minas Gerais, no final da primeira metade do século 19. O município recebeu esse nome, pois a pousada utilizada por esses homens para descanso denominava-se “Dous Córregos”, por situar-se às margens do Ribeirão do Peixe e ter como afluentes dois córregos, o Fundo e o Lajeado.
 
 
Podemos comemorar?
Dois Córregos completa no dia 4 de Fevereiro 161 anos, o município que tem sua economia pautada na indústria moveleira e agricultura, assim como as demais cidade do nosso país tem atravessado momentos complicados, queda na arrecadação, fechamento de postos de serviços, aumento da criminalidade entre outros problemas.
Dois Córregos começa 2017 com a expectativa de um novo Governo, o prefeito Ruy Favaro assumiu a prefeitura para uma gestão de quatro anos, com nova equipe, novos rumos virão, apesar de todos os problemas que a cidade enfrenta, principalmente queda na arrecadação municipal, a Prefeitura vem mantendo seus compromissos em dia com os servidores, a evidente diminuição nos postos de trabalho da indústria moveleira e agricultura, faz com que se encontre o mais rápido possível novas alternativas, uma delas fazer com que a cidade se torne um local de turismo cultural, Dois Córregos é conhecida pela poesia, o tão famoso festival que já recebeu grandes nomes nacionais e internacionais, a macadâmia que além de gerar divisas ao município atrai pessoas de todas as regiões, conhecedor de todos esses detalhes, o novo e mais novo prefeito da historia de Dois Córregos, busca alternativas para implementação de todas essas novidades e ao mesmo tempo a diminuição dos riscos e problemas já constatados.
 
 
A Economia:
A cidade tem extensas plantações de cana-de-açúcar e café, o destaque nas indústrias madeireiras e moveleiras. Conhecida como Capital da Macadâmia, pois é uma grande produtora da noz. 
Tem o título carinhoso de “Cidade Amizade” já foi retratada nos cinemas com as locações do filme Dois Córregos (1999), de Carlos Reichenbach e Alma Corsária do mesmo autor, outro destaque foi o documentário O Sarau, que conta a vida de alguns poetas da cidade, Dois Córregos encanta quem por aqui passa.
Agora sob uma nova perspectiva, aos 161 anos, Dois Córregos confia nas mudanças positivas e que elas tragam novas possibilidades e que o progresso volte a ser para a nossa “Velhinha” Dois Córregos uma realidade.
 


Esta matéria teve 77 visitas até agora. Data da publicação: 07/02/2017

Publicidade