24-02-2017 Boca no trombone: moradora reclama de atendimento médico

Uma moradora procurou a nossa reportagem para reclamar de um atendimento médico realizado na Santa Casa de Misericórdia de Dois Córregos, segundo Arlene Solange Gabriel Veronesi, no último domingo deu entrada com sua neta na Santa Casa de Dois Córregos, a menina de 16 anos sofria com dores abdominais e no momento da internação, foi muito bem atendida pelo plantonista.

O problema segundo ela começou quando o atendimento ficou por conta do médico Dr. Limoni, que atende na entidade “Minha neta ficou em observação pelo plantonista que a atendeu no domingo, passou para o Dr. Limoni que cuidaria do caso a partir desse momento, ele deixou minha neta em jejum após fazer os exames e disse que voltaria na segunda por volta das 17:00 horas para dizer se faria cirurgia ou a medicaria, pois poderia tratar-se de uma inflamação no apêndice, mas ele só apareceu as 20:30h, ou seja a minha neta ficou o dia todo em jejum, num calor absurdo e ainda foi mal-educado quando chegou ‘Quem disse que eu ia vir as 17:00h, eu venho a hora que eu posso, ela não é minha cliente, pode procurar outro médico, quem você quiser’ eu disse eu não te procurei, quem passou para o Sr. foi o plantonista, eu entendi que ele quis dizer, como eu não paguei ele não iria atender, estou indignada com esse médico” finalizou a avó que tem 66 anos e se sentiu ofendida com a forma que foi tratada.

Segundo Solange, não tem condições de pagar uma consulta particular e disse que o tratamento e os cuidados da Santa Casa de Misericórdia de Dois Córregos são excelentes, mas o que não pode acontecer segundo ela, é ser bem tratada pelos atendentes, enfermeiras e ser mal atendida por um médico que está recebendo sim pelo atendimento através do SUS (Sistema Único de Saúde).

A moradora está revoltada e disse que já procurou a Delegacia de Polícia para fazer um boletim de ocorrência contra o atendimento do médico.

Ela pode fazer a denúncia também no Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, Independentemente de processos na Justiça o médico denunciado está sujeito à apuração da denúncia.

O CRM garante o sigilo processual e nenhum médico pode ser considerado culpado até transitada em julgado a penalidade aplicada. Da mesma forma, o acusado tem amplo direito de defesa e do contraditório.

A nossa reportagem procurou o médico em seu consultório no último dia 21 de fevereiro, mas ele disse que não queria se pronunciar a respeito do caso.

 



Esta matéria teve 50 visitas até agora. Data da publicação: 14/03/2017

Publicidade