10-03-2017 Editorial:O dia delas

Todos os anos na data em que se comemora o Dia da Mulher há inúmeros questionamentos. O principal apontamento é que a mulher não tem um único dia, mas sim todos os dias do ano, já que desempenham um papel fundamental na sociedade e na família. Outra questão apontada é se de fato o dia deve ser comemorado, diante da realidade que encontramos de violência contra a mulher.
Bom, sabemos que a data é, principalmente, um dia comercial. De qualquer forma é importante refletirmos sobre isso. Independentemente se o dia é usado para presentear as mulheres com flores, chocolates e presentes, ele deve ser respeitado. Sabe-se da luta que foi travado ao longo de anos para que as mulheres conquistassem o espaço que merecem na sociedade.
Ainda há muito preconceito contra as mulheres. Para muitos, ela deve ser a dona da casa, aquela mulher que vive em função da família. Que sabe lavar, passar, cozinhar, deixa a casa arrumada, cuida da educação dos filhos e muito mais. Porém, a realidade hoje é outra. A mulher tem se tornado cada dia mais independente. Aquele cenário em que a esposa dependia financeiramente do marido não existe mais. Só depende mesmo, quem quer viver dessa forma.
A mulher aprendeu a se virar. Ela lutou para ter uma profissão, para ter uma carreira, para se destacar e ser dona da própria vida. Uma mulher contemporânea não precisa ser submissa ao companheiro. Muito pelo contrário, hoje, há muitas mulheres dona-de-casa. Mulheres que sustentam a família sozinhas.
E com relação à violência contra a mulher ressalta-se que, por isso, muitas tiveram coragem de abandonar seus parceiros e darem um rumo diferente à vida. Claro, ainda há muitas que se calam, que sofrem sozinhas, que têm medo de denunciar e vivem esse drama de vida. Mas a mulher mudou. Hoje ela é tão forte quanto o homem, tão competente, tão lutadora e tão vitoriosa quanto eles.
Sabe-se que ainda há muito o que conquistar. A luta feminina está longe do fim, mas grande parte da batalha já foi vencida. Parabéns a todas as mulheres, que continuem sendo guerreiras de lutas diárias e conquistando cada vez mais o seu espaço e o seu respeito.

 



Esta matéria teve 47 visitas até agora. Data da publicação: 15/03/2017

Publicidade