31-03-2017 Reunião deve esclarecer repasse à Santa Casa

Na sessão da Câmara da última segunda-feira, dia 27, entrou em pauta a votação do projeto que define o valor de repasse à Santa Casa de Misericórdia de Dois Córregos. Parte dos vereadores pediu para que o projeto ficasse nas comissões e fosse melhor analisado. A decisão surgiu após uma reunião com a diretoria da entidade, que afirma não ser suficiente o valor estipulado pelo executivo. De acordo com o presidente da Câmara, Alex Parente, quatro vereadores se reuniram com o prefeito Ruy Fávaro e se posicionaram a favor do projeto. "Porém, outros quatro vereadores pediram para adiar a votação, para que o assunto fosse discutido e buscassem uma solução para o problema".

Diante dessa situação, foi agendada para esta sexta-feira, dia 1°, uma reunião na Câmara Municipal com representantes da Santa Casa, vereadores e também com o prefeito do município. "É uma forma de chegarmos a um consenso. E, após essa reunião, devo convocar uma sessão extraordinária para a votação do projeto", explica o presidente da Câmara.

Segundo o provedor da Santa Casa, Carlos Cesar Moreira Mendonça, no final do mandato do último governo, seria solicitada uma subvenção no valor de R$ 322 mil, mas na época, o prefeito Chico Telles não recebeu a diretoria para discutir o assunto. No início deste ano, o atual prefeito recebeu os representantes da Santa Casa, que solicitaram o valor de R$ 270 mil para que o atendimento pudesse continuar sendo realizado no município. Porém, no projeto encaminhado pelo executivo, o prefeito ofereceu o total de R$ 258 mil.

A vereadora Cristina Cury afirma que após analisar o projeto encaminhado à Câmara verificou um apontamento do próprio jurídico da prefeitura. "Há uma justificativa de que a prefeitura tem consciência de que esse valor não é o ideal, mas o que tem condições de disponibilizar. A Santa Casa passa por problemas financeiros com sério risco de fechar a maternidade e, o mínimo que podemos fazer, é debater essa situação", esclarece.

O prefeito Ruy Fávaro afirma que tem se esforçado para resolver o problema e mantém uma boa relação com a Santa Casa. "Nós aumentamos em R$ 23 mil o valor do repasse mensal à entidade. Sabemos que ainda não é o suficiente, mas para nós já é um valor superior ao que poderíamos pagar. Vamos repassar R$ 258 mil por mês e neste ano não temos como aumentar o valor, pois estamos trabalhando com o orçamento deixado pela antiga gestão", explica.

 

 



Esta matéria teve 30 visitas até agora. Data da publicação: 08/05/2017

Publicidade