07-04-2017 Editorial: Como vai a saúde?

Convenhamos que essa pergunta é muito comum de ser feita e também ouvida, não é mesmo? Com a loucura do dia-a-dia, muitos deixam de lado a preocupação com a saúde e mergulham em problemas rotineiros. Mas, nossa saúde é a base, ou pelo menos deveria ser, para que tudo flua bem. Afinal, se você não estiver com a saúde em dia, a chance de todos os outros aspectos ficarem diretamente prejudicados é consideravelmente grande.

Do mesmo jeito que nós ignoramos a nossa saúde, parece que o poder público também tem agido da mesma forma. Até parece que não tem conhecimento de que a saúde é primordial e deve ser colocada em primeiro lugar, acima de qualquer outra coisa. É assim que vemos em países de primeiro mundo, aqueles que são referências na qualidade de vida e o sonho de consumo de muita gente.

Não é só em Dois Córregos, mas o problema com o descaso na saúde pública atinge o país por completo. É triste, mas é a realidade. Seja na esfera municipal, estadual ou federal, a situação é a mesma.

O cenário é contraditório: de um lado, temos uma vida agitada, com inúmeros problemas de saúde como diabetes, pressão alta, estresse, entre outros; do outro lado, temos um governo omisso, que trata a saúde com descaso total, sem investimentos, com filas de espera enormes no Sistema Único de Saúde, falta de medicamentos, e muitas outras questões. 

As desculpas são variadas, mas já se tornaram comuns. Sobre a falta de medicamentos, por exemplo, ouve-se que tem relação com a falta de matéria prima, ou com problema na distribuidora, ou, até mesmo, com a burocracia que envolve a comercialização de remédios. Mas, e daí? Saúde é o principal e o problema, independente do custo, deve ser solucionado da forma mais ágil possível. O mínimo que um paciente doente pode esperar é um tratamento de qualidade para a manutenção de sua vida. O fornecimento de remédios, seja para usá-los continuamente em casa, ou em hospitais, deve funcionar com 100% de eficácia, sem qualquer desculpa ou restrição. 

Em Dois Córregos, e em muitas outras cidades do Brasil, não é isso que se vê. São meses para regularizar problemas na área da saúde, isso quando são solucionados, porque muitas vezes são empurrados com a barriga e seja o que Deus quiser. E enquanto Deus quer, estamos levando. Mas, até quando será assim? Será que essa pergunta tem alguma resposta? Tomara que tenha e que não seja baseada em respostas prontas, sem fundamentos e, na maioria das vezes, inverídicas.

Que a sua saúde vá bem, é melhor assim. 

 

 



Esta matéria teve 32 visitas até agora. Data da publicação: 08/05/2017

Publicidade


Warning: mysql_fetch_array() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home2/jornalod/public_html/2011/include/bnview.php on line 7



Warning: mysql_fetch_array() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home2/jornalod/public_html/2011/include/bview.php on line 7