20-04-2017 Assassino de adolescentes se entrega a Polícia

Na última sexta-feira, dia 14, dois adolescentes foram baleados depois de testemunharem uma tentativa de homicídio. Os menores foram atingidos por tiros de arma de fogo na região da cabeça. Eles não resistiram e morreram no local.
O crime ocorreu por volta das 23h30 no cruzamento da Avenida Itu com a Rua Gália, no Jardim Paulista. De acordo com a Polícia Civil, Amarildo Fernandes de Souza, de 30 anos, andava pela Avenida Itu, quando foi abordado por dois homens em um carro preto. Segundo o depoimento da vítima, os suspeitos pediram um cigarro e na sequência um deles abaixou o boné para cobrir o rosto e colocou a mão na cintura para pegar o revólver. Nesse momento, ele saiu correndo e foi atingido de raspão por um tiro na nádega. Ainda de acordo com Amarildo, quando ele virou a esquina, encontrou dois adolescentes de bicicleta. Ele afirma que não chegou a dizer nada para os jovens, mas garante que eles ouviram os tiros e o viram ensanguentado, mas depois não soube dizer o que aconteceu com eles.
Os dois adolescentes, José Mateus Rampazo, de 15 anos, e Luis Otavio Bensi, de 16 anos, foram baleados logo na sequência de testemunharem a tentativa de homicídio contra Amarildo. Eles não resistiram aos ferimentos e morreram na hora. Os menores chegaram a ser socorridos e encaminhados para o pronto-socorro da cidade, mas já chegaram ao local sem vida.
Durante a madrugada de sábado, a Polícia Civil realizou diversas diligências pela cidade com o objetivo de identificar os suspeitos do duplo homicídio e da tentativa de homicídio. A equipe de policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Jaú, comandada pelo delegado Marcelo Góes, também esteve no município para auxiliar no trabalho. “Conseguimos efetuar a prisão de um dos autores, mas o responsável pelos disparos está foragido. Ainda resta apurar a real motivação dos crimes. O que temos certeza é de que os adolescentes não tinham nada a ver no cenário do crime. Eles foram mortos provavelmente porque tinham condições de reconhecer os autores”, explica.
Segundo o delegado responsável, Márcio Moretto, a motivação do crime ainda está sendo investigada. “A hipótese de crime passional não está descartada. A situação é grave, pois dois adolescentes faleceram por testemunharem um crime. Eles não tinham envolvimento nenhum, não fizeram nada de errado, só estavam passando pelo local”, afirma. 
Um dos envolvidos, Elenilson José Bezerra, de 30 anos, foi preso em flagrante e confessou a participação na tentativa de homicídio, mas disse não ter conhecimento do crime que vitimou os dois adolescentes. Em depoimento, ele afirmou que iria a um bar junto com o seu irmão, José Wilson Bezerra, de 23 anos, onde estaria um homem envolvido na morte do pai deles. Disse ainda, que depois de o irmão ter atirado em Amarildo, ele foi para a casa e não sabia que José Wilson teria atirado contra os menores.  “Ele citou como motivação do crime uma vingança do provável autor do homicídio, que vitimou o pai no passado, mas tudo leva a crer que se trata de um motivo passional envolvendo talvez alguém ligado a vítima da tentativa de homicídio”, explica Góes.
Na tarde de quarta-feira (19) por volta de 16:00h o autor dos disparos que estava foragido se entregou, José Wilson Bezerra se apresentou na Delegacia de Polícia de Dois Córregos juntamente com seu advogado e confessou ser o autor dos disparos que vitimaram os dois jovens na última sexta-feira, a apresentação do acusado foi mantida em sigilo até que ele fosse transferido para a cadeia pública de Itatinga-SP, pois o delegado Dr. Márcio Moretto temia pelo acumulo de pessoas e uma possível tentativa de linchamento por parte da população, haja vista que o crime chocou e comoveu a cidade. 
O acusado concedeu com exclusividade uma entrevista ao nosso jornal para o repórter Ricardo Pereira “Estou muito arrependido, não sabia que eram duas crianças, pensei que eram dois homens maiores que podiam me fazer mal no futuro, peço que as famílias me perdoem pelo que fiz, não tenho passagem na polícia, sai para beber e confundi o rapaz que acertei primeiro, pensei que era o assassino do meu pai, eu me desfiz da arma do crime, a minha vida daqui pra frente só Deus sabe, estou arrependido e vou pagar pelo que eu fiz” disse o acusado chorando no momento em que se entregou.
O delegado Dr. Márcio Moretto afirmou que José Wilson Bezerra confessou o crime e apresentou uma versão que ainda será apurada mas segundo ele essa história parece improvável pois um dos acusados saiu com uma barba postiça e pode ser premeditado, vamos verificar se houve algum mandante do crime, se houve colaboração de uma terceira pessoa e vamos chegar a real motivação do crime, o delegado alerta ainda que os menores assassinados eram totalmente inocentes, não tinham envolvimento com drogas ou brigas, as pessoas distorcem a verdade, mas de fato os meninos eram pessoas de bem e de boas famílias.
Trabalharam nessa investigação o delegado responsável Dr. Márcio Moretto, investigador Trevisan, Balivo, Negreiros, Eliezer e Thierri.
 
 
 
 


Esta matéria teve 39 visitas até agora. Data da publicação: 08/05/2017

Publicidade